terça-feira, 23 de junho de 2015

Falando Sobre: Baku/Tapir

Como traduzi Baku no Nemrihime, eu não entendi muito sobre isso. Até que li mais mangás sobre Baku's e me aprofundei mais nisso.

Bakus são seres sobrenaturais que previnem ou devoram sonhos e pesadelos e a má sorte. Eles têm uma longa história no folclore e na arte. No folclore japonês, o Baku é um devorador de sonhos, um espírito animal que visita casas no meio da noite e devora os pesadelos de pessoas enquanto estão dormindo. Acredita-se que o Baku pode ser induzido a devorar um sonho horrível, e que a criatura tenha o poder de transformá-lo em boa sorte.

O termo "Baku" tem dois significados no Japão atual. O primeiro refere-se ao animal mitológico devorador de sonhos e o segundo ao animal chamado Anta. Em Inglês, os dois assumem o mesmo nome: Tapir



Origens:

Sua origem remonta à China antiga, que o descreve como um animal semelhante a um bode com nove caudas, quatro orelhas e olhos em suas costas. Foi levado para o Japão por volta do século XIV, a partir daí, a descrição da besta mudou ao longo do tempo. É geralmente descrita com o tronco e as presas de um elefante, os olhos de um rinoceronte, a cauda de uma vaca, e as patas de um tigre.

Segundo documento do período Edo do Japão (1603-1868) diz: “Nas montanhas do sul, vive uma besta. Ele tem uma tromba de elefante, os olhos de um rinoceronte, um rabo de boi, e as patas de um tigre. Seu corpo é amarelo e preto, e é chamado de Mò貘(na China). Dormindo sobre sua pele pode-se afastar a peste. Um homem deve fazer um esboço do Mo, a fim de ser protegido do mal”.

No reino dos espíritos dos sonhos, o Baku é um espírito benevolente que protege as pessoas contra os terrores de sonhos maus. A imagem da criatura, quando colocada em ornamentos nas camas, é considerada benéfica e era usual pintá-las com tinta dourada nos travesseiros da nobreza. Imagens e talismãs do Baku também são comumente colocados sob o travesseiro para afastar os maus sonhos e maus presságios. Pessoas que acordam após um pesadelo podem pedir a ajuda do Baku, repetindo três vezes: “Dou o meu sonho para o Baku comer”.

Imagens de Baku também são frequentemente colocadas sob o beiral de templos e santuários japoneses para afastar os maus espíritos, assim como as imagens de shishi (leão) e do dragão. Todos os três são considerados protetores em templos budistas e santuários xintoístas. Também é comum pintar seu ideograma sob o casco ou vela do “Barco do Tesouro dos Sete Deuses da Sorte do Japão”, e orientar as crianças a mantê-los sob seus travesseiros no primeiro dia do ano.

Essas crenças continuam nos tempos modernos em tradições japonesas. A crença popular é que o devorador de sonhos ruins, ajuda a garantir que o primeiro Hatsu Yume (literalmente “primeiro sonho” do novo ano) durante o feriado de Ano Novo seja favorável e auspicioso, o costume local diz que se têm um bom sonho nesta noite,  vão ter boa sorte para todo o ano.



Ainda hoje a imagem do Baku esta presente não só em talismãs, netsukes (escultura esculpida para Kimonos), muito utilizada atualmente para prender celulares, mas também em brinquedos assim como comumente aparecem em jogos, livros e animes japoneses:

O Pokémon Drowzee é um Baku.
Em Kamen Rider Black os Gorgom usam um monstro Baku ( na tradução brasileira chamada de Antar), para induzir Kyoko Akizuki pelo sonho, a liberar sua força vital para reviver Shadow Moon.
O digimon Tapirmon, de Digimon Frontier também é um Baku.
Em Naruto Shippuuden o personagem Danzou Invoca um Baku.

Nenhum comentário:

Postar um comentário